Homo destrutivo

  22 de Abril – Parabéns ao Planeta Terra e os Pêsames ao “Homo destrutivo”.

“ Terra Ferida. Em 22 de Abril, é comemorado o dia do Planeta, que está cada vez mais machucado por causa das ações do homem”.*

Big Bang – quatorze bilhões e quinhentos milhões de anos. Tem origem o Universo.

Quatro bilhões e quinhentos milhões de anos - têm origem o Planeta Terra.

Três bilhões e quinhentos milhões de anos - do “ventre” do Planeta a vida vem à luz.

Em nenhum momento ele deixou de acolhê-la.

Houve, e há momentos em que devido sua estrutura e sua dinâmica ocorreram e ocorrem fenômenos que atingem os seres vivos, porém, nunca intencionais.

O Planeta, como diz a Hipótese Gaia é a Mãe acolhedora.

Entre o Permiano e o Triasico, 95% das espécies desapareceram devido talvez a atividades vulcânicas como as ocorridas na Sibéria. Mas, ele sempre se recondicionou e devolveu à vida o seu berço. Hoje há uma infinidade de espécies vivas. Todas, menos uma respeitando o Planeta, o Homo sapiens sapiens.

Porém, um fato há de ser ressaltado. O sapiens sapiens existe na terra há 195 mil anos. Durante 185 mil anos, sob o matriarcado, viveu em harmonia consigo e com a Natureza. Expressava a verdadeira natureza humana. O amor era a base do relacionamento e predominava a cooperação e a solidariedade. Era Nômade. Vivia da caça e da coleta. Há mais ou menos 10 mil anos inicia-se a tragédia chamada civilização, com advento da revolução agrícola e a domesticação de animais. Inicia-se o patriarcado. A partir de então o homem passa a subjugar e massacrar as duas grandes mães: Mulher e Mãe Terra.

Aparecem as primeiras aldeias, vilas e cidades, e com estas a distorção da natureza humana

Instala-se a hierarquia de poder, e como conseqüência a desigualdade social, a exploração do próximo, a escravidão, a tortura, a guerra e a formação de impérios. O Homem se aliena e dá origem a uma nova espécie, o “Homo destrutivo”.

Rompe-se a harmonia entre as pessoas e entre elas e a natureza. Tem inicio a destruição do Planeta e seu precioso componente, a biosfera.

O que vemos hoje: destruição intencional dos seres vivos, devastação de florestas, de espécies animais, poluição de lagos, rios, mares e oceanos, da atmosfera. Nenhuma das catástrofes naturais ocorridas no Planeta foi intencional e tão drástica para o homem como as provocadas por ele mesmo.

Afora outras tantas, prendamo-nos as mais recentes. Dizimação de seres humanos pela brutalidade das 1ª e 2ª guerras mundiais. Barbárie inimaginável como o Holocausto.

Hiroshima e Nagazaki: crianças, adolescentes, adultos e idosos, enfim, centenas e centenas de pessoas tragicamente mortas num segundo, atendendo ao intuito de exibição de poderio bélico.

Vietnã: insensatez, irracionalidade, provocando a morte de milhares de inocentes, em razão de estratégia geopolítica.

Mais agora “11 de Setembro”, Afeganistão, Iraque, Terrorismo formal e informal.

Mais perto de nós. Não culpemos as chuvas pelas enchentes e pelos deslizamentos. Não foi o Planeta que criou a “Industria da Favela”, que soterrou, edificou e impermeabilizou várzeas perturbando o regime dos rios, que construiu e assentou famílias sobre antigos depósitos de lixo.

Não o culpemos demagogicamente para abafar nossa irresponsabilidade.

Para concluir, peçamos desculpas a Mãe Terra, pois, nem de longe os fenômenos ligados a sua dinâmica, tais como marés, erupções vulcânicas, terremotos, tempestades, etc... põem em risco a vida no Planeta como o arsenal atômico armazenado pelo homem.

Agradeçamos o Planeta pela vida que possibilita e acalenta.

Peçamos desculpas pelo sangramento das feridas que lhe provocamos, pois, mesmo machucado nos acolhe e nos ampara.

Parabéns Planeta Terra.

Que as gotas de sangue que de ti desprendem tenham força para devolver o homem a sua verdadeira natureza humana,

*Fonte: Folha de São Paulo – Folhinha (17/04/2010) + 4 – Ambiente – Cláudio Ângelo.


APEV - Associação pela Paz e Estudos da Violência
Endereço: Rua Itacolomi, 333
Conj. 61/64 - São Paulo/SP